Novo julgamento aconteceu no dia de hoje e o Ministério Público sustentou a tese de dúvida da autoria dos homicídios, entendendo que os autos não trazem no seu bojo provas irrefutáveis de que FÁBIO teria sido mesmo o autor dos disparos, enquanto a defesa sustentou a tese de Negativa de Autoria, porque FÁBIO mudou a versão anterior de ter disparado em defesa do amigo que estava sendo espancado pelas vítimas e seis amigos.

O Conselho de Sentença, com as duas teses apresentadas, absolveu FÁBIO, numa Sessão que foi presidida pelo Juiz da Comarca, Dr. Francisco de Moraes, atuando pelo Ministério Público o Promotor de Justiça Davi Barouh Gallo (Titular da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital), e na defesa o advogado Josemar Santana, que contou com o auxilio do advogado Carlos Quadros e a assistência das advogadas Paula Dantas e Rebeka Terra Nova, integrantes do Escritório SANTANA ADVOCACIA.

Para o advogado Josemar Santana, que completou 173 atuações no Tribunal do Júri, a JUSTIÇA foi feita com a absolvição do réu.

Sansil Comunicações