O Hospital Universitário de Aarhus, na Dinamarca, quebrou o protocolo para realizar o último desejo de Carsten Flemming Hansen, de 75 anos, paciente em situação terminal internado com um aneurisma na aorta e hemorragia interna. Sem opções de tratamento, os médicos previram que Hansen morreria em dias ou horas, e garantiram uma morte “digna”, servindo um cigarro e uma taça de vinho.

Pelas regras do hospital, o fumo é proibido, mas as enfermeiras que tratavam de Hansen decidiram desafiar as normas e levaram o paciente numa cadeira de rodas até uma varanda. Lá, ele realizou seu último desejo de fumar um cigarro e beber uma taça de vinho branco gelado, enquanto observava o pôr do Sol.

O fato foi registrado pela página do hospital no Facebook na última sexta-feira, dia em que Hansen faleceu, e teve mais de 70 mil curtidas e quase 5 mil compartilhamentos. De acordo com as enfermeiras, a família concordou que numa situação como essa, os últimos desejos eram mais importantes que qualquer tipo de tratamento.

“Foi um ambiente muito acolhedor e relaxado”, disse a enfermeira Rikke Kvist, em publicação no Facebook. “É claro que os familiares estavam afetados pelo fato de que ele iria morrer, e estavam tristes”.

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here