Vereador Vuzinha

Por conta da discussão entre os vereadores, Vuzinha (PDT), e Jean Carlos (PSD),  a sessão da Câmara de Antônio Gonçalves teve que ser suspensa pelo presidente da casa, vereador Nego Mano.
A discussão só não terminou em vias de fato porque alguns vereadores e o povo presente interviram na discussão (segurando os dois vereadores).
A confusão teve início depois que o vereador, Vuzinha, cunhado do vereador Jean Carlos,  foi a tribuna da Câmara,  e passou a relatar o que teria acontecido com ele na noite da última quarta-feira, quando quatro homens armados, estaria em um veículo rondando sua residência.
Segundo o vereador, ele já vinha ouvindo comentários que o seu sogro, e ex-prefeito de Antônio Gonçalves, Dito Amorim, iria lhe matar “Esses comentários eu já venho ouvindo a vários meses mas não tomei providências porque eu pensei que ele iria parar, e também porque ele é pai de minha esposa, mas como isso não aconteceu,  e quarta-feira vinheram para me matar, no dia seguinte procurei a Polícia e registrei uma queixa,  aonde eu disse que tinha pessoas me contando que ele andava me dizendo que iria me matar” disse Vuzinha.

Vereador Jean Carlos

Durante o pronunciamento de Vuzinha, o vereador Jean Carlos, filho do ex-prefeito, Dito Amorim,  questionou por diversas vezes se o vereador provava que tinha sido seu pai.  Em seguida,  solicitou que o pronunciamento do vereador Vuzinha fosse gravado,  houve bate boca,  os ânimos se alteraram, os vereadores ameaçaram entrar em vias de fato,  uma filha do vereador Vuzinha presente a sessão,  ainda tentou atingir o vereador,  Jean Carlos com um microfone,  “Não faça isso não ” gritou o vereador que foi contido por terceiros.
Ainda durante a discussão o presidente da Câmara, Nego Mano,  optou em dar a sessão por encerrada.
Segundo o vereador Vuzinha,  o ex-prefeito Dito Amorim, comentou que o vereador seria responsável pela derrota de Duduzinho, filho de Dito Amorim,  candidato a prefeito na última eleição.
O ex-prefeito Dito Amorim já foi ouvido na Polícia,  informou que toda vida ajudou o vereador, e não tem nenhum motivo para mandar ou matar ninguém.
Familiares do ex-prefeito Dito Amorim afirmaram que agora cabe ao vereador apresentar as provas, caso contrário, o ex-prefeito adotará via justiça as devidas providências.
COMPARTILHAR