Fale Conosco

Brad Pitt

Brad Pitt se une a DiCaprio em filme de Tarantino sobre Charles Manson

Postado

Brad Pitt se unirá a Leonardo DiCaprio para protagonizar filme do cineasta Quentin Tarantino sobre o famoso assassino Charles Manson, informou na quarta-feira (28/2) o site especializado The Hollywood Reporter.

Tarantino aproveitou a notícia da contratação de Pitt para revelar o título do filme, Once Upon a Time In Hollywood, assim como alguns detalhes da trama.

“É uma história que acontece em Los Angeles, em 1969, no apogeu da Hollywood hippie. Os dois protagonistas são Rick Dalton [DiCaprio], uma antiga estrela de westerns na TV, e seu dublê, Cliff Booth [Pitt]. Os dois encontram problemas para triunfar em uma Hollywood que eles não reconhecem mais. Porém, Rich tem uma vizinha muito famosa… Sharon Tate”, disse o cineasta.

Tate, mulher do diretor Roman Polanski, foi uma das nove pessoas que morreram pelas mãos de Charles Manson e da seita A Família, cujos crimes comoveram a sociedade americana e marcaram simbolicamente um ponto de virada na contracultura dos anos 1960.

Manson foi condenado à prisão perpétua e morreu no dia 19 de novembro do ano passado, aos 83 anos.

Pitt e DiCaprio já trabalharam com Tarantino: o primeiro participou de Bastardos Inglórios (2009), enquanto o segundo esteve em Django Livre (2012).

“Eu trabalhei neste roteiro durante cinco anos e vivi no condado de Los Angeles a maior parte da minha vida, incluindo em 1969, quando tinha 7 anos. Estou muito emocionado em contar a história de uma Los Angeles e de uma Hollywood que já não existem”, completou Tarantino, afirmando que não poderia estar mais feliz por contar em seu elenco com Pitt e DiCaprio.

A estreia desse novo filme de Tarantino, o primeiro após Os Oito Odiados (2015), está prevista para o dia 9 de agosto de 2019, data em que completará 50 anos da morte de Sharon Tate.

Once Upon a Time in Hollywood será a primeiro filme de Tarantino sem o apoio do produtor Harvey Weinstein, que apostou no diretor a partir de Cães de Aluguel (1992), mas cuja reputação na indústria audiovisual se afundou depois de ter sido acusado de agressão sexual por dezenas de mulheres.

Puplicidade