Fale Conosco

Salvador

Projeto de lei cria apreensão entre taxistas e motoristas de aplicativos

Postado

Condutor de Uber, Washington Santos está com medo de o trabalho não ser rentável
Joá Souza l Ag. A TARDE

Aprovado esta semana pela Câmara dos Deputados, o projeto de lei que regulamenta o transporte de passageiros por meio de aplicativos desagrada os taxistas de Salvador e traz apreensão aos motoristas das plataformas digitais de transporte.

25 mil

motoristas integram o Simactter-BA que representa os condutores dos aplicativos, cooperativas e trabalhadores terceirizados em geral

À espera da sanção do presidente da República, o texto apresenta tópicos que não impõem restrições aos serviços dos condutores de aplicativos, como a não utilização da placa vermelha.

Esses trechos foram elogiados por motoristas da capital que trabalham para as plataformas Uber e 99Pop. No entanto, a categoria questiona o tópico que prevê a prefeitura como reguladora e fiscal do transporte.

Apreensão

“Estamos correndo um risco, porque não sabemos qual será a postura do município”, argumenta Átila Santana, que presidente do Sindicato dos Motoristas de Aplicativos, Condutores de Cooperativas e Trabalhadores Terceirizados em Geral do Estado da Bahia (Simactter-BA).

Em consentimento à opinião do sindicalista, o condutor de Uber, Washington Santos, disse que está com medo de o trabalho não ser rentável. “Tenho família para sustentar”, desabafa.

De acordo com dados do Simactter-BA, Salvador possui mais de 25 mil motoristas registrados em aplicativos de transporte.

Sobre a lei que regulamenta o transporte por aplicativos, os taxistas demonstraram pessimismo. Presidente da Associação Metropolitana dos Taxistas (AMT), Valdenilson dos Santos, discorda da aprovação da nova medida.

“O texto não aborda a concorrência desleal entre táxi e Uber. Espero que a prefeitura coloque um limite nisso, porque somos 7 mil taxistas”, diz Valdenilson.

O taxista Gilvan Silva também questiona o excesso de taxas. “Nós pagamos taxas, eles [motoristas de Uber], não”, brada.

Sobre a regulamentação do transporte por aplicativos, a Secretaria Municipal de Mobilidade (Semob) informou que aguardará a sanção do presidente para se pronunciar.

*Sob a supervisão da editora Meire Oliveira

Puplicidade

Facebook